Livro recomendado 05: “Apelo ao Amor”. Partes principais.

Livro completo: link

Partes principais:

Pág. 96:
“Todos os dias, depois da comunhão, repete com o máximo ardor possível: Coração de Jesus
que o mundo inteiro se abrase no vosso Amor!”

pág. 104:
“Quando o inimigo quer derrubar-te, dize-lhe que tens por ti Aquele que te sustenta com
Força divina. ”

pág. 116:
Foi na noite da quarta-feira, 16 de março(1922), que Josefa conheceu pela primeira vez a misteriosa
descida ao inferno.

Ouve gritos de desespero como estes:
“Estou para sempre no lugar onde já não se pode amar! Como foi curto o prazer! e a desgraça
é eterna!
— Que resta?… odiar com ódio infernal e para sempre!…

pag. 117:
“Amarrem_lhe os pés… atem-lhe as mãos.”

pag. 122:
Dez vezes será Josefa queimada. Verá o demônio vomitar sobre ela fogo que deixará traços,
não somente sobre suas vestes, mas ainda mais sobre os seus membros. As chagas vivas custarão a
fechar e seus corpo levará cicatrizes para o túmulo. Várias peças de roupas assim queimadas foram
conservadas, atestando a realidade da fúria infernal e a coragem heroica que lhe suportou os
assaltos, para ficar fiel à Obra do Amor.

pág. 148
“A alma se lembra a todo o momento que havia escolhido a seu Deus por Esposo e que O
amava acima se tudo… que por ele havia renunciado aos mais legítimos prazeres e a tudo que tinha
de mais caro no mundo… que no começo da vida religiosa havia saboreado as doçuras, a Força e a
pureza do Amor divino e agora, por causa de uma paixão desordenada… é obrigada a odiar
eternamente o Deus que a tinha escolhido para amá-Lo…
“Essa necessidade de odiar é uma sede que a consome… Nem uma lembrança que possa dar o
mínimo alívio…

pag. 153:
…Faltam vítimas… faltam vitimas!…” “Como reparar, Senhor — responde Josefa, expondo
ao Mestre suas próprias infidelidades — Eu própria estou cheia de misérias e de faltas”.
“Pouco importa! Este Sol de Amor te purifica e torna todos os teus sofrimentos dignos de
servirem de reparação pelos pecados do mundo.”
Esta afirmação fortifica sua alma sem diminuir o peso que ela carrega diante da Justiça de
Deus.

pag. 157:
Alguns instantes mais tarde voltando à parte da expiação e de reparação que pretende doar a
Josefa, Nosso Senhor explica assim seu valor:
“Quanto ao tempo em que te faço experimentar padecimentos do inferno, não o creias inútil
nem perdido. O pecado é ofensa à Majestade infinita, exige reparação e castigo infinitos.

pag. 160
“Não podes calcular, Josefa, o valor reparador do sofrimento.”

“Toma a Cruz, Josefa. Pede misericórdia pelos pecadores… luz para as almas cegas… amor
para os corações indiferentes… Consola-Me, ama-Me, abandona-te. Um ato de abandono Me
glorifica mais do que muitos sacrifícios.”

pag. 161:

“Sou todo Amor! Meu Coração é um abismo de Amor.”
“Foi o Amor que criou o homem, e tudo que existe no mundo, para o pôr a seu serviço.
“Foi o Amor que inclinou o Pai a dar o Filho para a salvação do homem perdido por sua
própria culpa.
“Foi o Amor que fez com que uma Virgem puríssima, quase uma menina, renunciando aos
encantos da vida do Templo, consentisse em tornar-Se Mãe de Deus e aceitasse todos os
sofrimentos que a maternidade divina Lhe deveria impor.
“Foi o Amor que Me fez nascer no rigor do inverno, pobre e desprovido de tudo.
“Foi o Amor que Me escondeu durante trinta anos na maior obscuridade e nos mais
humildes trabalhos.
Foi o Amor que Me fez escolher a solidão e o silêncio… viver desconhecido de todos e
voluntariamente submisso às ordens de minha Mãe e de meu Pai adotivo.
“Pois o Amor via, no correr dos tempos, muitas almas seguirem-Me e porem suas delícias em
conformar sua vida com a Minha!
“Foi o Amor que Me fez abraçar todas as misérias da natureza humana.
“Pois o Amor de meu Coração vai mais longe.
“Sabia quantas almas em perigo ajudadas pelos atos e sacrifícios de muitas outras
recobrariam a Vida.
“Foi o Amor que Me fez sofrer os mais ignominiosos desprezos e mais horríveis tormentos…
derramar todo o Sangue e morrer sobre a Cruz para salvar o homem e resgatar o gênero humano.
“…E quantas almas via, também o Amor no futuro unirem às minhas Dores e tingirem no
meu Sangue seus sofrimentos e suas ações, mesmo as mais ordinárias para me darem assim
numerosas almas.
“Ensinar-te-ei tudo isso com clareza, Josefa, a fim de que se saiba até onde vai o Amor de meu
Coração pelas almas.

pag. 180:

“Dize-Me: haverá Coração que ame mais que o Meu e que encontre menos correspondência
a seu Amor?
‘Haverá Coração que, mais que o Meu, se consuma no desejo de perdoar?
“E entretanto, como preço de tanto Amor, não recebo senão as mais graves ofensas.

pag. 181:
“E agora. Josefa começarei por te desvendar os sentimentos que enchiam meu Coração
quando lavava os pés de meus Apóstolos.
“Vê como Os reuni, a todos os Doze, sem excluir nenhum. Lá se encontravam, com efeito,
João, o discípulo muito amado, e Judas que, pouco depois, havia de Me entregar aos meus
inimigos.
“Dir-te-ei porque os quis reunir todos e porque comecei por lavar-lhes os pés.
Reuni-os todos, porque para a minha Igreja chegara o momento de aparecer no mundo e,
para todas as orelhas, o de não terem senão um só Pastor.
“Quis também mostrar às almas que nunca Lhes recuso a minha graça, nem mesmo quando
estão carregadas dos mais graves pecados, e que não as separo então daquelas que amo com
predileção. Guardo-as todas no meu Coração, para dar a cada uma os socorros necessários a seu
estado.
“Mas, qual não foi a minha dor ao ver, representadas pelo desgraçado Judas, tantas almas,
muitas vezes reunidas a meus pés, lavadas no meu Sangue e correndo todavia à sua perdição
eterna!
“Queria dar-lhes a compreender que não é pelo fato de estarem em pecado mortal que
devem afastar-se de Mim. Não julguem que já não há remédio para elas e que nunca mais serão
amadas como o foram outrora!.,. Não, pobres almas, não são estes os sentimentos de um Deus
que derramou todo o seu Sangue por vós!

pag. 185:
“A Eucaristia é invenção do Amor!… E este amor que se esgota e se consome pelo bem das
almas não encontra correspondência!…

“Habito entre os pecadores para lhes ser Salvação, Vida, Médico e ao mesmo tempo
Remédio em todas as doenças geradas pela natureza corrompida. Em paga, eles afastam-se,
ultrajam-Me e desprezam-Me!…
“Ah! pobres pecadores! Não vos afasteis de Mim!
“Noite e dia, espero-vos no Tabernáculo… Não vos censurarei os crimes cometidos não vôlos lançarei em rosto. Mas lavá-los-ei no Sangue das minhas Chagas… não tenhais medo e vinde!
Não sabeis quanto Eu vos amo!…

pag. 189:

“A Eucaristia é invenção do Amor. É Vida e Força das almas, Remédio para todas as
fraquezas, Viático para a passagem do tempo à eternidade.
“Nela os pecadores encontram vida para suas almas… os tíbios, calor verdadeiro… os
fervorosos, repouso e saciedade para seus desejos, os perfeitos, asas para se elevarem à maior
perfeição… as almas puras, mel dulcíssimo e o mais delicado alimento…
“Na Eucaristia, as almas consagradas acham sua morada permanente, seu amor e sua vida.

pag. 190:

“Dize-lhes que poderão descobrir também na pequenina Hóstia branca imagem perfeita do
Voto de Castidade. Sob as espécies de Pão e Vinho esconde, se aí a Presença real de um Deus. Sob
esse véu aí estou todo inteiro, Corpo, Sangue, Alma e Divindade.
“Assim a alma consagrada a Jesus Cristo pelo Voto de Virgindade deve cobrir-se com um véu
de modéstia e de simplicidade, de modo que, sob aparências humanas, se esconda pureza
semelhante à dos anjos.
“E, compreendei bem, almas que formais a Corte do Cordeiro Imaculado, a glória que assim
Me dais sobrepuja incomparavelmente a que Me rendem os espíritos angélicos. Pois eles não
conheceram as fraquezas da natureza humana e não tiveram que lutar nem que vencer para se
conservarem puros.
“Vós vos aparentais também à minha Mãe, criatura mortal, mas no entanto de pureza sem
mácula; sujeita a todas as misérias humanas e, no entanto, imaculada em todos os instantes de sua
vida.
“Ela sozinha Me glorificou mais que todos os espíritos celestes; e o próprio Deus. atraído por
essa pureza, nela se fez carne e habitou na sua criatura.
“Mais ainda, a alma que Me é consagrada pelo Voto de Castidade torna-se semelhante a Mim
seu Criador tanto quanto é possível à criatura, pois, tendo-Me revestido da natureza humana com
as suas misérias, vivi sem a menor sombra de mancha.
“E’ assim que, pelo Voto de Castidade, a alma se torna Hóstia branca e pura que dá
incessantemente glória à Majestade divina.
“Almas religiosas achareis enfim na Eucaristia modelo para vosso Voto de Obediência.”
“Aí estão escondidos e aniquilados a grandeza e o poder de um Deus. Aí podeis contemplarMe como que sem vida, Eu que sou a Vida das Almas e o Sustentáculo do mundo. Aí não sou
mais capaz de ir ou de ficar, de estar só ou rodeado: Sabedoria, Poder, Liberdade, tudo desaparece
sob essa Hóstia… As espécies do Pão são laços que Me encadeiam e o véu que Me encobre. Assim
o Voto de Obediência é para a alma religiosa a corrente que a prende e o véu sob a qual deve
desaparecer a fim de não ter mais nem vontade, nem juízo, nem escolha, nem liberdade senão o
Beneplácito de Deus manifestado por seus Superiores.”

pag. 191:

“Depois de ter pregado às multidões, curado doentes, restituído vista aos cegos, ressuscitado
mortos… depois de ter vivido três anos no meio de meus Apóstolos para formá-los e ensinar-lhes
minha doutrina… acabei finalmente por lhes mostrar com meu exemplo, a se amarem e a se
suportarem mutuamente, a praticarem caridade uns para com os outros, lavando.lhes os pés e
tornando-me seu alimento.
“Era chegada a hora em que o Filho de Deus feito homem, Redentor do gênero humano, ia
derramar o Sangue e dar a Vida pelo mundo.
“Foi então que quis por-Me em oração e entregar-Me à Vontade de meu Pai.
“Almas caríssimas! Aprendei do vosso Modelo que a única coisa necessária, quaisquer que
sejam as revoltas da natureza, é entregar-vos e sacrificar-vos humildemente com um ato supremo
da vontade, ao cumprimento da Vontade de Deus, seja em que circunstância for.
“Aprendei dele também que toda ação importante deve ser precedida de oração e por ela
vivificada, pois é na oração que a alma alcança fortaleza para as horas difíceis.
“É por ela que Deus se comunica, aconselha e inspira, mesmo sem que a alma o sinta.
“Retirei-Me ao Jardim de Getsêmani, isto é, à solidão. Assim a alma há de procurar a seu
Deus, longe de tudo, dentro de si mesma. Para O encontrar há de impôr silêncio a todas as
agitações da natureza, tantas vezes em luta contra a graça. Há de fazer calar os raciocínios do amor
próprio ou da sensualidade, que procuram abafar as inspirações da graça e se opõem ao encontro
de Deus…
“Tomei comigo três dos meus discípulos para ensinar que as três potências da alma devem
acompanhar-nos na oração.
“Recorde-vos a vossa memória as Perfeições e os Benefícios de vosso Deus, sua Misericórdia,
seu Amor, seu Poder, sua Bondade. O vosso entendimento procure os meios de corresponder a
tantas graças maravilhosas que multiplicou para vós. A vossa vontade fortaleça-se com o desejo de
fazer mais e melhor por Ele… de trabalhar pela salvação das almas, quer no labor apostólico, quer
no silêncio e na oração de uma vida humilde e oculta.
“Submetei vossa vontade à Sua… Adorai seus Desígnios para convosco, sejam quais forem… e
todo o vosso ser se prostre como convém à criatura diante do Criador…
“Foi assim que Eu Me ofereci para realizar a obra da Redenção do mundo

pág. 192:
“No mesmo instante vi cair sobre Mim todos os tormentos da minha Paixão, as calúnias e os
insultos… os açoites e a coroa de espinhos… a sede… a cruz… todas estas dores Se acumularam
diante dos meus olhos e ao mesmo tempo a multidão de ofensas, de pecados e de crimes que se
cometeriam no decurso dos séculos. Não somente os vi, mas senti_Me revestido de todos esses
horrores…
“E sob este fardo de ignomínias, apresentei-Me a meu Pai Santíssimo para implorar
Misericórdia. Então senti precipitar-se sobre Mim a Cólera de um Deus ofendido e irritado e
ofereci-Me como fiador. Eu, seu Filho, para aplacar sua ira e satisfazer à sua Justiça.
“Mas, sob o peso de tantos crimes, experimentei na minha natureza humana tal angústia e
tão mortal agonia que todo o meu corpo ficou coberto com um suor de Sangue.
“Ó pecadores, que Me fazeis sofrer assim… dar- vos-á este Sangue salvação e vida? ou ficará
perdido para vós?.., Como exprimir minha dor, pensando neste suor, nestas angústias, nesta
agonia, neste sangue… inúteis para tantas e tantas almas!…

pag. 219:

“Soou a hora!… Os algozes Me estenderam sobre a Cruz Agarraram-Me os braços e os
distendem até que minhas Mãos atinjam os buracos jã furados na madeira.
“A cada sacudidela minha Cabeça é balançada de um lado a outro e os espinhos penetram
mais profundamente… Ouvi o primeiro golpe de martelo que crava a minha Mão direita! Ressoa
até às profundezas da terra!… Escutai ainda: estão cravando a minha mão esquerda… os céus
estremecem e os anjos se prostram diante desse espetáculo…
“Eu, porém, guardo o mais profundo silêncio e nenhuma queixa escapa de meus lábios.
“Depois de me terem cravado as mãos, puxam cruelmente pelos meus pés: as feridas se
abrem… rompem-se os nervos… desconjuntam-se os ossos…
a dor é intensa… os pés são traspassados e meu sangue banha a terra!
“Contemplai por um instante estas mãos e estes pés dilacerados e ensanguentados… este
corpo coberto de feridas… esta cabeça traspassada por agudos espinhos, suja de poeira, inundada
de suor e sangue!
Admirai o silêncio, a paciência e a conformidade com os quais aceito este cruel sofrimento.
“Quem é Aquele que sofre assim. Vítima de tantas ignomínias?… É Jesus Cristo, o filho de
Deus!… Aquele que fez o céu e a terra e tudo que existe… Aquele que faz crescer as plantas e dá
vida a todo ser…
“Aquele que criou o homem e cujo infinito poder sustenta o universo… Aí está imóvel,
desprezado, despojado de tudo!… Mas, dentro em pouco, uma multidão de almas correrão a ele
para imitá- Lo e seguir-Lhe os passos… tudo abandonarão: fortuna, bem-estar, honra, família,
pátria, para Lhe render Glória e provar-Lhe o amor que lhe são devidos.
“E agora, ficai atentos, anjos do céu, e vós, almas que Me amais! Os soldados vão voltar a
Cruz para rebater as pontas dos cravos a fim de que o peso de meu Corpo não os arranque… Este
Corpo sagrado vai dar o ósculo de paz à terra…

pag. 235

Jesus veio de repente — escreve ela — e, mostrando-me o Coração no meio das chamas:
“Josefa, contempla meu Coração, estuda-O, e aprenderás dele a amar… O verdadeiro amor é
humilde, generoso, desinteressado… Se queres que te ensine a Me amar, começa esquecendo-te de
ti mesma. Não te detenhas nos sacrifícios… Não olhes para o que te custam… não faças caso de
teus gostos. Faze tudo por amor.”

“Senhor! por que a cruz em tão bela luz e, entretanto sem Vós?”
Jesus vem responder, em Pessoa, àquela pergunta, durante a ação de graças.
“Josefa, não sabes que a Cruz e Eu somos inseparáveis? Se Me encontrares, encontrarás a
minha Cruz, e quando encontrares Cruz, é a Mim que encontras.
“Aquele que Me ama, ama a Cruz, e aquele que ama a Cruz Me ama! Ninguém possuirá a
Vida eterna sem amar a Cruz e sem abraçá-la com boa vontade por meu Amor.
“O caminho da virtude e da santidade é feito de abnegação e sofrimento. A alma que aceita e
abraça generosamente a Cruz anda na verdadeira luz, segue uma trilha reta e segura, e não receará
escorregar em ladeiras, porque não as encontra.
“A minha Cruz é a porta da Verdadeira Vida eis porque é resplendente. E a alma que souber
aceitá-la tal qual lha dei, entrará por ela nos esplendores da vida eterna…”
“Compreendes, agora, quão preciosa é a Cruz! Não a receies…

pag. 255:

“Filhos queridos! Eu sou Jesus, e este Nome significa Salvador. Por isso é que as minhas Mãos
foram traspassadas pelos cravos que me prenderão: à Cruz, onde morri por vosso amor.
“Os meus Pés ostentam o vestígio das mesmas feridas, e o meu Coração está aberto pela lança
que o atravessou depois da minha morte!…
“É assim que Me apresento a vós, para vos ensinar quem sou e qual é a minha Lei. Não vos
atemorizeis! é a lei de Amor!. E quando Me conhecerdes, achareis paz e felicidade. É triste viver na
orfandade: vinde,, filhos meus, vinde a vossa Pai.

pag. 256:

“Eu sou o vosso Deus e o vosso Pai! o vosso Criador e o vosso Salvador! Vós sois as minhas
criaturas, os meus filhos, os meus resgatados também, porque foi à custa da Minha Vida e do Meu
Sangue que vos livrei da escravidão e da tirania do pecado. Vós tendes uma alma grande, imortal, e
feita para a felicidade sem fim, tendes uma vontade capaz do bem, um coração nobre que tem
necessidade de amar e ser amado.
“Se procurais apagar com bens terrenos e passageiros essa sede de felicidade e essa necessidade
de amar, tereis sempre fome e nunca achareis alimento que vos sacie. Vivereis continuamente em
luta convosco, sempre tristes, inquietos e perturbados.
Se sois pobres e o vosso ganha-pão é o trabalho, as misérias da vida vos encherão de
amargura.
“Sentireis crescer em vós o ódio contra aqueles que são vossos patrões e. talvez, ireis até ao
ponto de lhes desejar a desgraça, a fim de que também eles se vejam como vós, sujeitos às mais
duras necessidades… Sentireis cair sobre vós o cansaço, a revolta, o desespero, mesmo porque o
caminho é áspero e, por fim é fatal a morte!…
“Sim, sob o ponto de vista humano, tudo isto é duro! Mas Eu venho mostrar- vos a vida soe
um aspecto real, muito diferente daquilo que vêdes:
“Vós, que estais privados dos bens da terra e obrigados a trabalhar sob o comando de um
patrão para viver, não sois todavia escravos mas fostes criados para ser livres na eternidade…
“Vós, que procurais amor e que nunca ves sentis saciados, fostes feito para amar, não o qus
passa mas o que é eterno…
“Vós, que amais profundamente a vossa família e que trabalhais para assegurar a sua
subsistência, o seu bem-estar e a sua felicidade na terra, não esqueçais que se a morte um dia vos
separa dela será por pouco tempo…
“Vós, que servis um patrão e que deveis trabalhar para ele, amá-lo e respeitá-lo, cuidar dos
seus interesses e valorizá-los com vosso trabalho e vossa fidelidade, não esqueçais que esse patrão
não é vosso patrão senão por poucos anos, pois a vida passa rapidamente e vos conduzirá a um
lugar em que não mais sereis operários, mas reis para toda a eternidade…

pag. 257:

“A vossa alma, criada por um Pai que vos ama, não com qualquer amor, mas com amor
imenso e eterno, encontrará um dia no lugar da felicidade sem fim que esse Pai vos prepara,
resposta a todas as suas necessidades.
“Lá encontrareis a recompensa do trabalho cujo peso houverdes suportado aqui na terra.
“Lá, encontrareis a família que tanto amastes sôtore a terra e pela qual vertestes vossos
suores..
“Lá, vivereis eternamente, pois a terra é apenas uma sombra que desaparece e o céu não
passará nunca!
“Lá, vos unireis ao vosso Pai que é vosso Deus!
“Se soubésseis oue felicidade vos espera!…
“Mas. ouvindo-Me. talvez esteias dizendo: “Quanto a mim, não tenho fé! não creio na outra
vida!”
“Não tens fé?… Então, se não crês em Mim, poroue Me nersegues?… Porque te revoltas
contra as minhas leis, e fazes guerra àqueles que Me têm amor?… e, se queres liberdade para ti,
porque não a dás aos outros?
“Não acreditas na vida eterna?… Dize-me se vives feliz na terra e se não sentes necessidade de
alguma cousa que não podes encontrar aqui…
Procuras prazer e, se chegas a conseguí-lo não ficas saciado…
“Andas atrás da riqueza e, se consegues adquiri-la, nunca te julgas assaz rico…
“Tens necessidade de afeição e. se a encontras um dia, dentro de pouco tempo estás
cansado!…
“Não! cousa nenhuma destas é o que tu desejas… O que desejas, certamente não o
encontrarás na terra! Porque, aquilo de que tens necessidade, é de paz, não a paz do mundo, mas a
dos filhos de Deus, e como poderias tu encontrá-la no seio da revolta?…
“Por isso é que Eu venho mostrar-te onde está essa paz, onde encontrarás essa felicidade,
onde saciarás esta sede que há longo tempo te devora.
“Não te revoltes, se Me ouves dizer-te: Tudo isso, encontrá-los-ás no cumprimento da minha
Lei.
não, te espantes desta palavra, a minha Lei não e tirânica: é Lei de amor!
“Sim, a minha Lei é de amor, porque eu sou teu Pai.
“Venho ensinar-te o que é essa Lei e o que – o meu Coração que vô-la dá, esse Coração que tu
não conheces e que tantas vezes tens ferido! Procuras-me para Me dar a morte, ao passo que Eu te
procuro para te dar a vida. Qual de nós dois triunfará? A tua alma ficará tão endurecida que se não
renda Àquele que te deu a sua própria Vida e todo o seu Amor?

pag. 261

“Como Deus, exige que cumprais a sua Lei Divina. Como Pai, pede-vos filial submissão aos
seus Mandamentos. Assim, depois de terdes passado uma semana inteira nos vossos trabalhos, nos
vossos negócios, nos vossos recreios lícitos, pede-vos que deis meia hora ao menos, ao
cumprimento do seu preceito. Será exigir muito?
“Ide pois à sua Casa, à Igreja. ele lá vos espera dia e noite; e, em cada domingo ou dia de festa,
dai-lhe essa meia hora, assistindo ao mistério de Amor e de Misericórdia que se chama a Missa.
“Durante ela falai-Lhe de tudo; da vossa família, dos vossos filhos dos vossos negócios, dos
vossos desejos… Apresentai-Lhe as vossas penas, as vossas dificuldades, os vossos sofrimentos…
“Se soubésseis como ele vos ouvirá e com que Amor vos atenderá!…
“Talvez me digais: “Não sei assistir à Missa!
Há tanto tempo que não entro numa igreja!”
“Não vos atemorizeis. Vinde! Passai simplesmente essa meia hora a meus pés. Deixai que a
consciência vos diga o que deveis fazer, e não cerreis os ouvidos à sua voz. Abri vossa alma… Então
a minha graça vos falará… Mostrar-vos-á, pouco a pouco, como deveis proceder em cada
circunstância da vossa vida, como haveis de comportar-vos com vossa família ou nos vossos
negócios… Como deveis educar os vossos filhos, amar os vossos inferiores, respeitar os vossos
superiores. Ela vos dirá, talvez, que deveis abandonar esta empresa, quebrar aquela amizade má,
afastar-vos energicamente daquela reunião perigosa.
“Ela vos dirá que odiais tal pessoa sem razão, e que, ao contrário, destoutra pessoa que
frequentais e amais, deveis separar-vos e fugir dos seus conselhos… Experimentai e, pouco a pouco,
vereis como se vai estendendo a cadeia das minhas graças. Porque acontece com o bem, como com
o mal, basta começar. Os anéis da cadeia prendem-se uns aos outros. Se hoje ouvirdes a minha
graça e a deixardes trabalhar em vós, amanhã a ouvireis melhor; mais tarde, ainda melhor, e assim,
de dia para dia, a luz aumentará, a paz crescerá e preparareis a vossa felicidade eterna!
“Porque o homem não foi criado para ficar sempre neste mundo! É feito para a eternidade.
Sendo imortal, deve portanto viver, não para aquilo que morre, mas para o que permanecerá.
Juventude, riqueza, sabedoria, glória humana, tudo isso passa e acaba. Só Deus subsiste por toda a
eternidade .
“Se o mundo e a sociedade estão repletos de ódios e em lutas contínuas, novos contra novos,
nações contra nações e indivíduos contra indivíduos, é por:u e o grande fundamento da fé quase
desapareceu. Reanime-se a fé, e a paz voltará e a caridade reinará! A fé não prejudica a civilização e
não se opõe ao progresso. Pelo contrário, quanto mais se enraíza nos indivíduos e nos povos, mais
crescem reles a sabedoria e a ciência, porque Deus é Sabedoria e Ciência infinitas. Mas onde a fé já
não existe, de:aparece a paz e, com ela, a civilização e o verdadeiro progresso… pois Deus não está
na guerra… Já não há senão ódio entre os povos, lutas das opiniões entre si, levantamento das
classes umas contra as outras e, no próprio homem, rebelião das paixões contra o dever.
“Desaparece então tudo o que constitui a nobreza do homem; fica a revolta, a
insubordinação, a guerra!…
Ah! deixai-vos convencer pela Fé e sereis grandes! Deixai-vos esclarecer pela Fé e não
morrereis eternamente!”

pag. 296:

“Peço três coisas às minhas almas consagradas:
“Reparação: quer dizer, vida de união com o Reparador Divino: Trabalhar por Ele, com Ele,
nele, em espirito de reparação, em estreita união com os seus sentimentos e com os seus Desejos.
“Amor: quer dizer, intimidade com Aquele que é todo Amor e que se põe ao nível das suas
criaturas para lhes pedir que não O deixem só e que Lhe dêem amor.
“Confiança: isto é, segurança naquele que é Bondade e Misericórdia, naquele com quem vivo
dia e noite… que me conhece e que eu conheço… que me ama e que eu amo… naquele que, chama
de maneira especial suas almas escolhidas, a fim de que, vivendo com Ele e conhecendo seu
Coração, tudo esperem dele”.

pag. 297:

Nada dá tanta paz na hora da morte quanto ter renunciado a si mesma, para fazer a Vontade
de Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: